Home / Destaques / A elite perdeu a condição de se indignar’, diz Haddad sobre declarações de Mourão

A elite perdeu a condição de se indignar’, diz Haddad sobre declarações de Mourão


O candidato também comentou proposta de Paulo Guedes para o Imposto de Renda, publicada pelo portal Infomoney.

Por André Henrique e Rafael Bruza

Em evento no Club Homs, nesta segunda-feira (24), o candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), comentou declarações recentes feitas pelo general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), e de Paulo Guedes, que coordena o programa econômico do militar.

 
Haddad não citou os nomes de Mourão e Guedes. Disse, no entanto, que uma fala do general sobre filhos criados por mães solteiras é uma “loucura” de se pensar.

“Há cinco anos não imaginávamos um sujeito falando que a delinquência é culpa das mães solteiras que não cuidam dos seus filhos. É um negócio que faz você pensar: ‘meu Deus, que aconteceu nesse país?’ Porque pensar isso já é uma loucura de falar, algo complicado. Agora, falar como um candidato…” declarou.

As declarações do petista foram feitas em um ato do PT em São Paulo, que teve presença de intelectuais e estudantes, além do candidato do partido ao Governo do Estado, Luiz Marinho, e do ex-ministro Aloísio Mercadante.

Haddad também comentou sugestão de Paulo Guedes de unificar a alíquota do Imposto de Renda de pessoas físicas e jurídicas em 20%.  A proposta é tema de artigo no portal Infomoney, que também foi citado indiretamente pelo candidato petista.

“Nós temos um dos sistemas tributários mais regressivos do mundo. Aí o sujeito propõe: diminuir o Imposto de Renda dos mais ricos e subir o dos pobres. Diz isso e o jornal discute, como se fosse uma coisa notável”, afirmou Haddad. “Eu não sei o que está acontecendo com a imprensa desse país também, porque está tudo naturalizado. Nada choca mais”.

Haddad concluiu com uma crítica dirigida à “elite” e afirmou que vai “trabalhar 24 horas por dia” para chegar ao segundo turno.

“A elite parece que perdeu a noção e perdeu a condição de se indignar com esse tipo de fraseado e declaração. Então é uma coisa. Para nós que vivemos o movimento estudantil, o momento das Diretas, da Assembleia Constituinte, eu falo: não é possível que, em tão pouco tempo, um país ser cobrado tanto a ponto de tolerar esse tipo de declaração”, concluiu.

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (24) mostra Jair Bolsonaro (PSL) em primeiro lugar de intenções de voto, com 28%; Haddad com 22%; Ciro Gomes com 11%, Alckmin 8% e Marina Silva 5%. Em cenário de segundo turno, Fernando Haddad abriu seis pontos de Jair Bolsonaro, 43 a 37, segundo o ibope.

Publicado no Independente aqui

Veja Também

Entrevista com as candidatas à vice-presidência da República

Matéria do Independente, por Rafael Bruza  Manuela D’Ávila, vice de Fernando Haddad (PT), Ana Amélia, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *